Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

02
Jun17

Tempo de antena #3

 

Lara, 32 anos, natural de Lisboa.

Cresceu na zona da Ericeira mas a vida trocou-lhe as voltas e há 4 anos regressou à capital. Espontânea, positiva e algo refilona a Lara está grávida do seu primeiro filho. Em estado de graça, 'bora lá fazer uma onda à Lara! Uuuuueeeeeeeeeeeeeeee!

 

Bem-vinda Lara!

 

Obrigada por teres alinhado. Para começar, queres acrescentar algo à tua apresentação?

É difícil desistir de algo, falo pelos cotovelos e adorooo fazer experiências gastronómicas com o meu marido.

 

Eu também gosto muito de jantar as vossas experiências gastronómicas! Comecemos pelo princípio. Aos oito anos os teus pais separam-se e foste viver para Mafra. Como recordas esses tempos?

Os meus pais separam-se aos meus oito anos e fui viver para Mafra mas só aos dez. Não tenho nenhuma mágoa dessa separação, os meus pais deram-se bem, toda a minha vida, juntos ou não... O único trauma foi começar a dormir sozinha, que até então ia secretamente de noite para a cama dos meus pais. | risos |

 

Em adolescente sofreste de bulimia. Hoje, adulta e saudável, o que tens a dizer sobre isso?

Foi uma fase difícil, só quem passa por ela é que consegue dar o devido valor. Comecei por anorexia e quando percebi que não conseguia reduzir mais aquilo que comia, comecei a vomitar e sofri de bulimia. Costumava vomitar o jantar, que era a refeição que, por ser em casa, não podia escapar. Emagreci 34kg num ano. Quando estamos assim, olhamos para o espelho e apenas vemos gordura. Não conseguimos ver a realidade, apenas queremos ver mais ossos salientes... Por sorte tenho uma mãe muito persistente e atenta, e isto só durou três meses (apenas cheguei aos 44 quilos). Depois de descobrir, a minha mãe ia todos os dias à escola para lanchar comigo e certificava-se que eu tinha almoçado. Graças à minha mãe não tive repercussões mais graves de saúde. 

 

Aos dezoito anos, voltaste para Lisboa e entraste para a faculdade. Inscreveste-te numa licenciatura, mudaste para outra, acabaste por deixá-la e começaste a trabalhar. Arrependes-te da decisão?

Sinceramente não. Foi uma fase da minha vida que adorei e claro que hoje poderia ter uma licenciatura. Mas trabalho com tantos licenciados que recebem o mesmo que eu... Acho que ainda hoje não sei em que área gostaria de me licenciar! |risos|

 

Entretanto voltaste para a Ericeira e apaixonaste-te pelo - que é hoje - teu marido. Como descreverias a vossa relação?

Numa frase e muito lamechas: sem dúvida que encontrei o homem da minha vida, complementamo-nos e não o trocava por nada. Nunca amei ninguém como o amo...acima de tudo somos amigos e companheiros. Temos uma relação tranquila e muito mimosa. 

 

Vocês já estiveram desempregados ao mesmo tempo. Imagino que essa situação vos tenha fortalecido enquanto casal?

Cada ano destes quase dez, nos têm fortalecido. Já passámos por tanta coisa... Uma relação constrói-se!

 

Há quatro anos deixaram a Ericeira e foram viver para Lisboa. Foi difícil ou adaptaram-se rapidamente?

Curiosamente a adaptação foi mais rápida do que pensava. Somos um casal bastante sociável, por isso foi muito fácil fazer novas amizades e sentirmo-nos integrados.

 

Estás grávida! O que é que se sente quando se espera o primeiro filho?

É inexplicável. É algo tão mágico que é difícil de descrever. Para mim, a gravidez em si não é tão mágica como descrevem e acho que no início apenas nos sentimos gordas e pouco sensuais...Estou com 7 meses (30 semanas) e agora sim, sinto a magia. Estou a gerar um ser, a única coisa na minha vida que será mesmooooo minha (e do meu marido, claro...), é espectacular, a sério. Sou eu que a carrego - é menina! - e alimento todos os dias com o meu próprio corpo. Sinto-me mesmo em estado de graça. É maravilhoso, como ainda sem conheceres, já amas tanto alguém. 

 

Um objectivo para 2017?

O meu principal objectivo para 2017 é que a minha bebé nasça com muita saúde, e que o parto seja fácil, sem complicações.

 

Envias-me uma foto de algo que faça parte do teu dia-a-dia?

 

IMG_4280.JPG 

 

 

Muito bem. Desafio-te a responderes às seguintes perguntas de alto teor intelectual. Preparada? Go!

 

1- Clube de futebol: Benfica, mas não ligo muito a futebol. 

2- Costumas levar os champôs de hotéis para casa? Claroooooooo!

3- Uma certeza: Vou ter uma menina!

4- Doces ou salgados? Salgados.

5- Se neste momento eu fosse à tua casa, ela estaria arrumada? Sim.

6- Já ficaste sem combustível no carro? Não, nunca.

7- Diz a verdade, quantos litros de água bebes ao dia? Dois litros.

8- Muito frio ou muito calor? Nem uma coisa, nem outra.

9- Um medo: Desistir.

10- Se pudesses saber algo sobre o futuro, qual seria a tua pergunta? Vai correr tudo bem?

 

Obrigada Lara! E parabéns pela princesa! É sempre gratificante conversar com alguém que transborda amor. Agora aproveita e guarda este texto - este estado de graça - para reler quando ela entrar na idade dos porquês. Se ela sair à mãe, cheira-me que vais precisar de alguma (nada, coisa pouca, assim de raspão) paciência. =)

 

12
Mai17

Tempo de antena #1

Raquel, 32 anos, natural de Lisboa.
Em miúda partia-se toda. Para ser concreta, em miúda partiu 5 vezes as pernas e 1 vez a clavícula. Diz que era uma miúda calminha.
Divertida, espontânea e prática a Raquel é hoje Engenheira Electrotécnica e, sem medos, aceitou o convite de ser a nossa primeira entrevistada.
 
Bem-vinda Raquel!
 
Olá Raquel! Obrigada por aceitares o convite e vires dar o ar da tua graça à Mercearia Magina. Para começar, queres acrescentar algum detalhe à tua apresentação?
 
Sim, gostava de salientar só o ponto mais importante… Pet Lover!
 
Fala-nos um bocadinho sobre ti. Como é isso de trabalhar com máquinas e computadores?
 
É excelente! Não me dão trabalhinho nenhum. Costumam estar sossegadinhas no seu canto, e enquanto não existir uma liga de proteção aos computadores, ainda é permitido dar-lhes umas pancadinhas quando não querem trabalhar. Geralmente afinam logo!
 
Trabalhas num "mundo de homens". Alguma vez sentiste-te alvo de preconceito no teu meio de trabalho?
 
Sim mas não levei muito a peito...Eu sinto-me um homem por dentro. Já dei por mim a tentar coçar os tomates mas não deu. |risos|
 
Pois, imagino que seja complicado! ...Trabalhas naquilo que estudaste. Na opinião de muitos serás uma sortuda. Gostas do que fazes?
 
Ui, que sorte a minha. Não. Mas não me escapo de ouvir "Ah e tal não te queixes porque tens trabalho e ganhas bem." É verdade sim senhora. E também é verdade que nunca tive de mexer uma palha para procurar trabalho (convidaram-me para trabalhar na minha faculdade ainda antes de terminar o curso), assim como, fui sempre seleccionada nos sítios a que me propus ir. Mas é uma treta! Não sei o que raio se passava naquelas famosas horas de OE (orientação escolar) e os seus testes psicotécnicos. Diziam que eu era boa em Engenharia Química, Política e Advogacia...e nessa altura eu queria ser pediatra! De qualquer das formas não resultou. Acho que o maior problema é, às vezes, eu ter a mania de ser do contra. Mas no final de contas o problema está é em trabalhar…o melhor da vida faz-se fora do trabalho.
 
E descartas a possibilidade de algum dia vir a tentar outra área?
 
Não, até já tenho o meu deadline. Aos 40 anos largo tudo, viro hippie e vou vender pulseirinhas para a Feira da Ladra com os meus 93023 cães.
 
Gosto da ideia. Tens 32 anos e és casada há 2. Já começaram as perguntas "e para quando um bebé"?
 
Calma que ainda não são dois e até lá muita coisa pode mudar! |risos| Sim, acho que é a típica pergunta para fazer conversa. Até eu digo isso aos outros e fico "OMFG what have I just said!?". Este fim‑de‑semana fui a um batizado onde estavam pessoas que me conhecem desde pequenina e diziam-me "Então Raquel agora és tu...", ao qual eu respondi "Naaaa eu quero ser mãe-avó, poupa-se tempo se saltarmos etapas!". Time is money!
 
De certa maneira pressionam-vos com essas perguntas. Como é que lidas com isso?
 
Com a pressão é mesmo #caguei. Com o facto de querer ter filhos é que a coisa é dúbia...tanto quero como afinal não. Acho que a vida toda pensei que ter uma família significava ter filhos mas, ter que ter filhos não é o mesmo que querer ter! Agora encontro-me numa fase em que praticamente todos os casais à minha volta têm filhos e eu penso que não é bem isto que eu quero para mim. Nem sei se quero! Parece que de certo modo até introduz alguma pressão ao casal e ao relacionamento, assim como pressão financeira. Se pensarmos bem, uma vida sem filhos pode ser uma vida do caraças! O cão serve como treino e como abre olhos. Se já há tantas coisas que não posso simplesmente fazer porque tenho um cão, então como será com filhos? Ps- Objectivo aos 40 largar tudo com filhos não é possível!
 
A pergunta mais ansiada. Não só trabalhas num "mundo de homens" como vives num "mundo de homens". Como é que é viver com um gato, um cão e um marido?
 
É totalmente espectacular, não há períodoooooo naquela casa que não o meu! E todos me amam então, chego a casa e transformo-me em Cleópatra. Todos vêm à porta para me receber, lutam entre eles pela minha atenção, sento-me no sofá e todos querem o meu colo. D E   S O N H O ! No entanto se tiver filhos, curtia de ter meninas. Adoro desafios!
 
Um objectivo para 2017?
 
Tinha um que já foi. Decidi atolar-me numa dívida para o resto da vida e comprei uma casa (#fml #eagora #aos75toudespachada), algo que me deixa super tranquila  (#not #whathaveidone #aaaaaah). Portanto agora sinto-me como um balão de hélio, vazia por dentro e a pairar no ar sem objectivos. Confesso que este momento de introspecção deixou-me preocupada... Mas a verdade é que também precisava de alguma calma e estabilidade, pois isto de andar sempre a mudar de casa (em 4 anos, 4 casas) e a mudar de carro (em 4 anos, 5 carros), algum dia tinha de parar.
 
Envias-me uma foto de algo que faça parte do teu dia-a-dia?

 

FullSizeRender (2).jpg

 

Desafio-te então a responderes às perguntas mais pertinentes desta entrevista. Preparada?

 

1- Clube de futebol: Só há um. SLB.

2- Costumas levar os champôs de hotéis para casa? Claro as embalagens dão sempre jeito!

3- Uma certeza: Tenho a certeza que nunca serei do SCP.

4- Doces ou salgados? Salgados (...odeio estar de dieta).

5- Se neste momento eu fosse à tua casa, ela estaria arrumada? Com uma casa cheia de gajos, achas mesmo?

6- Já ficaste sem combustível no carro? Só uma vez não, váriaaaaaas!

7- Diz a verdade, quantos litros de água bebes ao dia? Orgulhosamente, 3 litros!

8- Muito frio ou muito calor? Podem ser as duas?

9- Um medo: Perder o meu baby dog :(

10- Se pudesses saber algo sobre o futuro, qual seria a tua pergunta? Vou ser rica?#sópobreéquedizqueodinheironãotrazfelicidade

 

Obrigada Raquel! Gostei muito de receber-te por aqui. Dentro de 8 anos lá estarei, na Feira da Ladra a comprar-te fiozinhos enquanto brinco com os teus cães!

 

 

 

06
Abr17

Tinder #Freakàsolta

Capturar.PNG

 

Tinder. Há tanto e tão pouco a dizer sobre o Tinder. É certo e sabido que há boa gente no Tinder mas não é do "bons" que reza a história. Vamos lá esclarecer uma coisa, o Tinder é um chat de engate em que a coisa se dá ou não se dá, certo? Match or doesn't match, fácil. Mais ou menos. Tenho cá para mim que há para lá muita gente amargada e desocupada. No passado fim de semana fui tomar café com uma amiga. Ela chegou irritada, de telemóvel em punho e ainda eu não lhe tinha perguntado o que fosse, já ela me tinha posto o telemóvel à frente. "Pah olha-me este idiota!". Curiosos? Ora atentem:

 

Tinderman: Olha afinal hoje não vai dar. Esqueci-me que já tinha combinado com um amigo.

Amiga: Ok, na boa.

Tinderman: Mas se quiseres podemos jantar amanhã..?

Amiga: Hmm ok mas eu amanhã saio tarde. Teria que ser por volta das 22h.

Tinderman: Por mim tudo bem, amanhã às 22h então. Apetece-te ir a algum sítio especial?

Amiga: Nem por isso, amanhã decidimos!

Tinderman: Ok!

- 2 horas depois - 

Tinderman: Olha afinal amanhã não vai dar. A Cátia sai mais cedo e prefiro ir ter com ela.

 

Senhores, qual é a necessidade? Não sei se o gajo era demasiado sincero ou só era parvo. Só sei que miúdas, anda por aí muito freak à solta. 

 

20
Mar17

Tinder #vsMeetic

Capturar.PNG

 

"Meti-me no Meetic", disse-me uma amiga há uns dias atrás. Já tinha ouvido falar do Meetic mas nunca lhe tinha prestado muita atenção então perguntei-lhe se é igual ao Tinder. "Não, é diferente. No Meetic pagas, logo as pessoas que lá estão, procuram outras coisas. Não querem só uma "one night stand", para isso já têm o Tinder, percebes?".

 

Não questionando a lógica desta equação, a verdade é que a minha amiga me explicava o quão difícil é para ela, conhecer alguém interessante nos dias de hoje. Ela - pessoa que sempre conheci livre, leve e solta - contava-me que gostaria de ter uma relação, uma relação equilibrada e com alguém que tivesse determinadas características em comum com ela. Perguntou-me se estava a exagerar e se eu achava que era impossível encontrar alguém assim. Eu disse-lhe que "não, não devia ser". 

 

E não devia, embora o seja. Não devia porque, mesmo que numa relação existam ajustes e cedências, o que ela "pedia" era uma pessoa "absolutamente normal". Ela não procura um príncipe encantado ou uma estrela de rock. Ela procura uma pessoa com certos gostos e valores em comum, que a respeite. Fácil, não é? Comentava-me ainda que é cada vez mais difícil não só encontrar "a" pessoa, como encontrar momentos que proporcionem tal acontecimento. "Quando? No caminho casa-trabalho-casa? A sair à noite? No ginásio? Amigos de amigos...começam a estar todos casados/com namorada." Pois, se calhar não é assim tão fácil.

 

Fiquei a pensar nisto pois tal como ela, conheço mais pessoas que procuram o mesmo. Porque será tão difícil que elas se cruzem entre elas se afinal, pessoas com gostos em comum costumam frequentar os mesmos locais, viver as mesmas experiências, estar nas mesmas situações. Será que andamos todos demasiado exigentes? Ou seremos todos uns freaks, cada qual com os seus gostos? Algo anda a falhar.

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D