Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

07
Jun17

Parece que me dói o cotovelo

O rapaz cá de casa está no Porto em trabalho. Eu, como boa rapariga que sou, dei-lhe umas dicas do que poderia fazer caso tivesse tempo livre. Já recebi uma foto de uma praia. Já recebi uma mensagem "bla bla bla, delta, bla bla, pastel de nata". Sinto que não faltará muito para receber uma foto de uma francesinha. Para a próxima não lhe digo nada. A inveja é lixada.

26
Mai17

In Lisbon, like a virgin

Capturar.PNG

 

Há mais de uma semana que quase todos os dias leio uma notícia sobre a Madonna em Lisboa. Ou é porque a Madonna esteve no Liceu Charles Lepierre a pedir informações (fica sempre bem saber falar francês), ou porque a Madonna foi vista a passear nas Amoreiras (está ao lado do liceu, deve ter ido despachar o almoço na Go Natural), ou porque o filho da Madonna foi visto a jogar na escola do Benfica (ela sabe o que é bom), ou porque as gémeas da Madonna foram vistas a passear com o equipamento do Benfica (e há lá roupa mais bonita para as piquenas usarem?), ou porque a Madonna esteve a jantar com o Nuno Gomes (eu cá não deixava o meu homem jantar com a Madonna, é assim que elas acontecem), ou por alguma outra notícia que me está a escapar.

 

Eu acho pouco provável que a Madonna vá viver para Lisboa ainda que, se há pessoa que pode fazer o que lhe dá na telha, essa pessoa deve ser a Madonna. E depois vamos lá ver, se a Madonna não quer viver em Lisboa é ela que perde! Dada a aproximação da abertura da época balnear, das festas populares e dos festivais de verão, eu digo que se a Madonna é realmente uma miúda espevitada, ela não arranca pé de Lisboa tão cedo. Talvez ela fique mesmo e neste verão possamo-la ver na praia da Fonte da Telha com os putos. Ou a comer caracóis numa marisqueira em Alcântara. Talvez a apanhar sol num qualquer Outjazz. Quem sabe na fila para os Toi Toi no Nos Alive. Ou ainda a desfilar nas marchas populares, de sardinha na cabeça, como madrinha de Marvila. E se decide aventurar-se por esse Portugal fora, ainda somos capazes de vê-la a partilhar palco com a Ana Malhoa nas festas de verão de Monto Gordo. 

 

Eu não sei se a Madonna está a pensar mudar-se para Lisboa mas sei que razões não lhe faltam. Madonna, se me estás a ler: não sejas totó rapariga, tu fica em Lisboa. Aproveita e vai por mim comer um preguinho à cervejaria Boa Esperança em Benfica. Acredita que não te vais arrepender.

18
Mai17

A malfadada celulite

Capturar.PNG

 

Basta o verão dar o ar da sua graça e eis que uma pessoa é bombardeada por todo um leque de campanhas contra a malfadada celulite. Meus amigos, não é preciso. Nós mulheres, somos conscientes da celulite que transportamos no nosso corpinho e agradecemos que não nos lembrem de tal coisa, a cada virar de esquina. A celulite faz parte de nós, é um investimento pessoal e não merece ser tratada com leviandade. São dezenas de pizzas, dezenas de hambúrgueres, dezenas de tostas, centenas de cervejas, centenas de chocolates, centenas de gelados...é uma vida alojada em nós.

 

Todas sabemos o que devemos fazer para combater esta catástrofe que se dá pelo nome de celulite. No entanto só algumas o fazem. Eu, sem qualquer pingo de orgulho, assumo que pertenço ao núcleo "vou fingir que não é nada comigo". Vou fingindo, fingindo, fingindo até que o calor aperta e não posso fingir mais. É verdade sim senhora, em Madrid não há praia e assim de repente, uma pessoa até sente que se escapou à tropa. Mas as coisas não são bem assim. Em Madrid costuma estar um calor do caneco e, felizmente, há piscinas.

 

Talvez por isto, há uns dias tenha cedido ao impulso de - uma vez mais - comprar um creme anticelulítico. Sim pessoal, "I believe in miracles". Todos os anos compro um creme destes e claro, nunca levo a sério a aplicação aconselhada. O que é que acontece portanto? Nada. Absolutamente nada. Tenho cá para mim que, por este mundo fora, há mais alminhas como eu. Vítimas do marketing e do photoshop. Este ano estou decidida a levar a coisa mais a sério. Ou mesmo a sério. Voltei a inscrever-me no ginásio (mais uma moedinha, mais uma voltinha), vou obrigar-me a beber água nem que tenha que fazer xixi pelas pernas abaixo e, vou aplicar religiosamente a porcaria do creme todos os dias. Não se riam nem revirem os olhos, estou mesmo decidida. No entanto também vos digo, se dentro de um mês não notar diferenças (entenda-se dois buraquinhos menos) rendo-me ao sofá enquanto ligo para a Telepizza. Eu cá não nasci para sofrer.

 

03
Abr17

Mudar

Ao longo destes 4 anos anos a viver em Espanha, foram várias as pessoas que me perguntaram "porquê Barcelona e não Madrid?". Eu, convicta das minhas próprias certezas, respondia sempre que "seria incapaz de viver numa cidade sem praia ou estar longe do mar". Chamem-lhe capricho ou parvoíce mas isso foi uma coisa que sempre me causou confusão: a ideia de não ter o mar por perto. 

 

Ingénua ou arrogante, a verdade é que acabei por cuspir para o ar e toda a gente sabe que isso não costuma ser boa ideia. Escrevo-vos desde Madrid, a minha nova casa. É um pouco estranho escrever isto. Talvez seja por hábito, ou falta dele. Talvez seja pelo que sempre pensei. Talvez seja por ter deixado uma cidade que adoro. Talvez seja tudo isto.

 

Não sei a razão mas a verdade é que isso também não importa, não estou assustada. Sinto-me curiosa, contente, motivada. Às vezes mudar assusta mas, a vida também me tem demonstrado que costuma correr bem quando o faço. E se não correr bem estamos cá para aprender. No pasa res.

 

Se eu gosto de viver numa cidade longe do mar? Ainda é cedo para poder responder. Mas também não é disso que se trata, até porque o mar...esse saberei sempre onde encontrá-lo. Hola Madrid!

 

Capturar.PNG

 

 

23
Mar17

Pit Stop - Galicia report

É verdade que não sou fã de sítios onde o tempo é instável mas também é verdade que sou muito fã de sítios onde se coma bem e claro, haja praia. Ver o mar é uma das coisas que mais prazer me dá, independentemente do tempo que faça. A Galiza (Rias Altas) não só reúne estas duas condições como ainda oferece muitas outras coisas, entre elas, paz. Não é a primeira vez que vou a esta zona da Galiza e, certamente, não será a última. Aqui vos deixo uma breve reportagem fotográfica destes últimos dias, durante os quais, fomos brindados com sol, chuva, neve e muita, muita, muita, muita, muita comida boa. Se não conhecem esta zona "de nuestros primos hermanos" aconselho-vos vivamente mas atenção, antes de irem, façam dieta.

 

1.JPG

2.JPG

3.JPG

4.JPG

5.JPG

6.JPG

9.JPG

11.JPG

12.JPG

10.JPG

9.JPG

7.JPG

8.JPG

 

 

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D