Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

17
Mar17

Pessoal, afinal ele não é daltónico!

A propósito deste post, muitos de vocês mostraram-se não só sensibilizados com a minha dor, como também partilharam as vossas experiências, obrigada malta, obrigada! Fiquei ainda com a ideia que há por aí muito boa gente que padece de daltonismo e não sabe...bom, tenham cuidadinho a atravessar estradas, é o meu conselho. Ontem o Catalão - imagino que sentindo-se objecto de estudo deste blog - chegou a casa indignado que "não era daltónico coisa nenhuma, que em pequenino tinha ido ao médico e que fez os testes e que não, não é daltónico!". "Espera lá, em pequenino fizeste os testes?" Ahahahahaha!

 

Avante, dois de vocês mandaram-me um tira teimas e nós aceitámos a sugestão. Mostrei-lhe a seguinte imagem e perguntei-lhe que números é que ele via:

Capturar.PNG

Finalmente houve sossego nesta casa, esta era a prova que o rapaz necessitava para esfregar-me na cara que não é daltónico e que as calças são verdes (são castanhas, somos 2 contra 1, acreditem em mim). Estive a reflectir e não sei o que vos diga. Ele tem os testes, eu tenho as testemunhas. O que eu sei é que continuaremos a ver o mesmos carros, almofadas, camisolas, etc. de cores diferentes. Há males piores nesta vida, I rest my case.

 

p.s.- e vocês, que números encontram nessa imagem?

 

15
Mar17

Ele é daltónico e não sabe

Caqui, nude, marsala e exemplos como estes, são cores que geralmente os homens têm dificuldade em identificar ou distinguir. Tudo muito bem mas, confundir verde com castanho? Não, não venham defender o rapaz com meios tons, estou a falar de verde verde e castanho castanho. Já não sei bem como começou mas sei que de repente dizia-me "verde como as minhas calças!" e eu, surpreendida, dizia-lhe "mas as tuas calças são castanhas!"...bom, não fossemos os dois teimosos e não teríamos insistido em tirar as teimas. Quando fomos pagar, perguntámos ao rapaz do bar se as calças do meu moço eram verdes ou castanhas e, tal como dizia eu, eram castanhas. Ui, podia ver através dos olhos deste rapaz o reboliço que ia naquela alma. "Então mas vamos lá ver, de que cor é aquela cadeira? É verde, tal como as minhas calças", indagava ele. Eu, que já suspeitava qual seria a resposta do rapaz do bar, pus-me de parte a assistir ao espectáculo. "Eu peço desculpa mas para mim aquela cadeira é castanha", disse o rapaz já algo farto de nos aturar. Conclusão? Voltou para casa a dizer que eu e o rapaz do bar somos daltónicos. Deus dai-me paciência.

 

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D