Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

13
Abr17

Páscoa

Na minha família a Páscoa não é uma data que passe em branco mas também não é uma data que tenha a importância, por exemplo, do Natal. O Natal é sagrado, sim ou sim vou a casa. Na Páscoa nem por isso. Há dois anos uma amiga foi visitar-me a Barcelona, logo não fui a casa. O ano passado também foi em Barcelona. Fizemos um almoço em casa e convidámos amigos. Lembro-me que nos dias seguintes à Páscoa tínhamos um casamento e um aniversário especial, sendo que também não dava jeito ir a casa. Este ano também não vou. Estive 1 semana inteirinha em Lisboa há menos de um mês e, tendo em conta que quero lá voltar em Junho/Julho, era mal jogado ir agora pela Páscoa. Este ano vou passar a Páscoa a Cuenca. O Catalão tem lá família e parece que a coisa promete. Comida e bebida à fartazana. Tios-avós que depois de almoço cantam e tocam acordeão. Assim como quase todas as primas e respectivas filhas. É divertido e para ser sincera, até me faz recordar a minha infância. O meu pai é alentejano e na casa dos meus avós, nas noites de Natal, havia o hábito de tocar acordeão enquanto se esperava o "menino Jesus". Voltando à Páscoa...então este ano até vai ser fixe, não é? Não sei pessoal, não sei. A última vez que vi este lado da família, fizeram-me prometer que cantava um fado quando fosse a Cuenca, na Páscoa. Medo, muito medo é o que eu sinto. Faço figas para que já não se lembrem de tal promessa e que a coisa passe de fininho. Acreditem, ninguém merece ouvir-me a cantar o fado. Eles é que ainda não sabem.

 

p.s.- já agora, vocês sabem algum fado inteirinho de cor e salteado?

 

31
Mar17

Voltei, voltei...

Não foi de França, como cantava o Dino Meira, mas foi de Portugal...e que bom que foi lá estar! São raras as vezes que vou a casa por mais de dois dias e, desta vez ao estar uma semana, consegui viver tudo com a calma de quem não está de fugida. Pude estar presente nos anos da minha irmã, passei tempo com os meus pais, vi amigos que não não via há um ano, amigos que tal como eu vivem fora do país, consegui acompanhar a minha prima numa ecografia e conhecer a minha afilhada (7 meses, está quase!), estive horas na palheta com as amigas de sempre, fui ao Guincho, comi como uma desalmada, dormi como uma desalmada e ri-me como uma desalmada, enfim, foi mesmo bom. Voltei com o coração cheio e acima de tudo, feliz por ter encontrado as pessoas que me são queridas com planos, com soluções para os seus problemas, esperançosas, positivas, motivadas e felizes. Energias carregadas, siga o baile!

 

23
Mar17

Pit Stop - Galicia report

É verdade que não sou fã de sítios onde o tempo é instável mas também é verdade que sou muito fã de sítios onde se coma bem e claro, haja praia. Ver o mar é uma das coisas que mais prazer me dá, independentemente do tempo que faça. A Galiza (Rias Altas) não só reúne estas duas condições como ainda oferece muitas outras coisas, entre elas, paz. Não é a primeira vez que vou a esta zona da Galiza e, certamente, não será a última. Aqui vos deixo uma breve reportagem fotográfica destes últimos dias, durante os quais, fomos brindados com sol, chuva, neve e muita, muita, muita, muita, muita comida boa. Se não conhecem esta zona "de nuestros primos hermanos" aconselho-vos vivamente mas atenção, antes de irem, façam dieta.

 

1.JPG

2.JPG

3.JPG

4.JPG

5.JPG

6.JPG

9.JPG

11.JPG

12.JPG

10.JPG

9.JPG

7.JPG

8.JPG

 

 

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D