Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

06
Jun17

Bom dia alegria!

Capturar.PNG

 

Já aqui assumi o meu handicap com as manhãs. Regra geral não tenho bom despertar, sinto que o meu cérebro não se conecta à realidade e pior do que isso, vive em negação aproximadamente até às 11h da manhã (ou até ao terceiro café). Bem, podia ser pior. Com os anos aprendi a controlar - o melhor possível - este mau humor matinal. As pessoas, principalmente aquela que acorda ao meu lado todas as manhãs, não têm que levar com este filme. Como controlo o mau humor? Ficando calada. O mau humor existe, está a 180km/h dentro de mim mas ao ser ignorado, não é alimentado e pouco a pouco acaba por desaparecer. No entanto, e para ser verdadeira, há dias em que o mau humor vence e sem qualquer controlo na velocidade que as coisas me saem da boca, lá solto uma ou outra pérola. Segundo a dimensão do mau humor, arrependo-me ou não em seguida.

 

Há uns anos, quando comecei a trabalhar, um senhor mais velho disse-me que o Homem é um ser de hábitos e que isto acabaria por me passar. Eu confiei na voz da experiência mas começo a achar que ele estava enganado. Não passou, apenas aprendi a controlar-me e a dar menos importância a isto. Pessoal, quem está comigo? Quem é que pelas manhãs tem vontade de mostrar o dedo do meio a quem está a anhar no trânsito? Mandar dois gritos aquela pessoa que enquanto caminha para sair do metro, continua a ler o seu livro alheado a quem tenta passá-lo (pela direita ou pela esquerda, é indiferente, estas pessoas arrastam-se aos "s")? Dizer "cala-te!" a quem cantarola alegremente (ou muito pior, assobia alegremente)? Dar com a porta do elevador ao vizinho que não responde ao nosso "bom dia"? Anyone?

13
Abr17

Páscoa

Na minha família a Páscoa não é uma data que passe em branco mas também não é uma data que tenha a importância, por exemplo, do Natal. O Natal é sagrado, sim ou sim vou a casa. Na Páscoa nem por isso. Há dois anos uma amiga foi visitar-me a Barcelona, logo não fui a casa. O ano passado também foi em Barcelona. Fizemos um almoço em casa e convidámos amigos. Lembro-me que nos dias seguintes à Páscoa tínhamos um casamento e um aniversário especial, sendo que também não dava jeito ir a casa. Este ano também não vou. Estive 1 semana inteirinha em Lisboa há menos de um mês e, tendo em conta que quero lá voltar em Junho/Julho, era mal jogado ir agora pela Páscoa. Este ano vou passar a Páscoa a Cuenca. O Catalão tem lá família e parece que a coisa promete. Comida e bebida à fartazana. Tios-avós que depois de almoço cantam e tocam acordeão. Assim como quase todas as primas e respectivas filhas. É divertido e para ser sincera, até me faz recordar a minha infância. O meu pai é alentejano e na casa dos meus avós, nas noites de Natal, havia o hábito de tocar acordeão enquanto se esperava o "menino Jesus". Voltando à Páscoa...então este ano até vai ser fixe, não é? Não sei pessoal, não sei. A última vez que vi este lado da família, fizeram-me prometer que cantava um fado quando fosse a Cuenca, na Páscoa. Medo, muito medo é o que eu sinto. Faço figas para que já não se lembrem de tal promessa e que a coisa passe de fininho. Acreditem, ninguém merece ouvir-me a cantar o fado. Eles é que ainda não sabem.

 

p.s.- já agora, vocês sabem algum fado inteirinho de cor e salteado?

 

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D