Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

08
Mar17

Alimentar um burro a pão de ló

Quem é que já ouviu esta expressão? Eu várias vezes, obrigada pai! Eu sou uma pessoa de alimento, aliás, conta a história que o sou desde sempre. Desconfio que isso não passa de uma conspiração entre os meus pais e a minha irmã mas se há coisa que eles gostam de contar com cara de sofrimento e amargura, é como é que eu era em bebé. Entre outras coisas, parece que eu era uma bola sem pescoço comia muito e berrava entre colheradas porque queria mais papa, sempre mais. Calunias ou não, a verdade é que eu sou uma pessoa que gosta de comer. E o que é que isso tem de mal, perguntam vocês? Nada, se eu gostasse de cozinhar. 

 

De vez em quando até gosto de enfiar-me na cozinha com as minhas invenções mas mata-me aquela preocupação diária do "O que é que faço para o almoço de amanhã? Se fizer a mais para o jantar pode ser que sobre para o almoço de amanhã. Então o que é que faço para o jantar? Foda-se Que seca, não me apetece cozinhar". Irrita-me, pronto. Depois, o meu catalão é tão ou mais prendado do que eu então podem ter uma imagem do panorama geral.

 

Ontem joguei no Euromilhões mas não me saiu nada, no entanto eu não desisto. Um dos meus sonhos é ter um cozinheiro, alguém que venha cá a casa e deixe tudo preparado no frigorífico e que eu não tenha que pensar no assunto, apenas comer e bem. Isso ou poder comer fora, sempre e onde me apetecer. Enquanto isso não acontece não me resta outra opção senão continuar a fazer saladas, massas, sopas e cenas do género, c'est la vie.

 

07
Mar17

Eu e os táxis

 0

 

 

Estão a ver aquela cena de entrar num táxi, dizer o destino, chegar, pagar e ir à nossa vida? Parece simples não é? Parece mas nem sempre é, pelo menos a minha experiência assim o dita. Nunca sei bem o que esperar de uma viagem de táxi seja ela de 1,5km ou de 6km, não interessa, o importante é estar preparada para tudo, fugir se necessário. Não vos digo isto de ânimo leve meus amigos, são muitos anos a virar frangos e várias experiências dignas de serem promovidas a case study. Ora observemos algumas das coisas que me acontecem ao andar de táxi:

 

  • O meu taxista sacar de um taco de basebol para ameaçar um colega taxista. À noite, perto do Martim Moniz #tatranquilotafavoravel;
  • Apanhar um taxista "em altas" e passar 3 vermelhos entre o Marquês de Pombal e o Saldanha. Ele ia a ouvir metal, estão a sentir a adrenalina?;
  • Ter um acidente de táxi em menos de 1 minuto de viagem. Nada grave mas, a sério?;
  • O meu táxi ser parado numa operação stop e eu rezar que tudo corresse pelo melhor caso contrário teria que arranjar outro táxi em pleno Eixo Norte-Sul #tooeasy;
  • Em Barcelona, inúmeras vezes, o meu táxi quase atropelar uma bicicleta que aparece caída do céu. Não falta muito para rebentar uma guerra entre taxistas e ciclistas, vão por mim;
  • O meu táxi ser perseguido e parado por uma mota que lhe diz que perdemos a matrícula 4 ruas atrás. A cara do taxista era perfeita para um anúncio da Eno, tal era a azia dele.

 

No entanto devo dizer que nem tudo é mau. Já foram algumas as vezes em que só não perdi o avião graças ao rally à compreensão e sensibilidade do taxista face ao meu problema. Já tive agradáveis conversas e, obviamente também já tive viagens de táxi absolutamente normais. Mas querem viver no limite? Andem comigo de táxi.

 

06
Mar17

Partilhemos manias #3

Capturar.PNG

 

Esta é antiga e há muito tempo que não a ponho em prática mas em conversa lembrei-me dela e decidi partilhar. Pois é, chamem-me maluca, maníaca, freak mas a verdade é que na altura da faculdade, quando tinha uma frequência, usava sempre a caneta (normalmente uma BIC azul) com a qual tinha estudado e feito apontamentos. Sempre que não me esquecia da caneta em casa, óbvio, eu sou um bicho distraído. Quando isso acontecia o pânico estava instalado, como se fosse a caneta a real detentora de tamanha sabedoria. Digam-me que não estou sozinha e que vocês também têm destas pancadas, vá lá.

06
Mar17

Moonlight from my eyes

Depois da inédita noite dos Óscares pus-me a caminho do cinema para ver o grande vencedor, o La La Land. Ah ah, a piadinha, fui ver o Moonlight é claro. E o que tenho a dizer sobre o Moonlight? Pouco. Não sendo uma especialista na área, os meus comentários baseiam-se no que os filmes me transmitem e, sinceramente, o Moonlight transmitiu-me pouco. Não me interpretem mal, reconheço a abordagem que faz a assuntos tão sérios e actuais como o bulling, a homossexualidade e a solidão mas faltou-me ali qualquer coisa. Uma conclusão, um grito do Ipiranga, uma raiva convertida em atitude. Ok, há coisas que "são como são" mas estamos a falar do filme que arrebatou o Óscar mais desejado, correcto? Que há vidas de merda já todos sabemos.

02
Mar17

Clap your hands!

Capturar.PNG

 

Star Vs The Force of Evil” é o nome da série da Disney na qual, surge o seu primeiro beijo gay (ver aqui). Antes de mais, palmas para esta decisão! Não só conheço alguns casais homossexuais como tenho amigos que o são e, com eles, pude perceber o quão difícil pode ser identificarmo-nos e assumirmo-nos homossexuais. Há uns tempos, um amigo contava-me a sua história e é impossível não comparar a facilidade com que nós, heterossexuais, vivemos as nossas primeiras paixões, apresentações a amigos/família e, fazemos sem receio de qualquer pudor alheio, coisas tão simples como dar a mão em público. Está socialmente aceite o amor por uma pessoa do outro sexo, o amor por um amigo, o amor por um animal, o amor por um desporto, o amor por um trabalho, o amor por um hobbie...não entendo porque continua a ser visto de maneira diferente, o amor entre duas mulheres e/ou dois homens. Correndo o risco de estar a ser ingénua, acredito que dentro de algumas décadas as coisas já sejam diferentes e, acredito também, que a educação é fundamental para esta mudança de mentalidades. "Maricas", "paneleiro", "bicha", "boiola", são algumas das palavras que ainda se ouvem e isso não é bonito. Menos quando ditas à frente de uma criança. Se conseguimos tolerar e respeitar tantas diferenças culturais, porquê que ainda custa tanto aceitar a diferença de orientação sexual? Parabéns Disney!

Pág. 4/4

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D