Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

08
Jun17

O bizarro comportamento das Mães

Quem é da geração de oitenta sabe do que estou a falar. Depois de anos e anos a observar o comportamento de várias Mães (a minha, de amigos, de colegas, de namorados, de vizinhos e por aí fora), creio que posso afirmar que as Mães são caracterizadas por um comportamento peculiar, tão próprio delas que é como se de uma tribo se tratasse. Ora tu, que não és mãe - logo não és da tribo - não entendes certas coisas. Faltam-te skills, pronto. Se assim não fosse, não te responderiam com tanta assertividade "quando tu fores mãe vais perceber". Confesso que este comentário chega a dar-me um bocadinho de medo... Enfim, então e que comportamentos ou características são essas? Vamos a isso: 

 

  • Mãe que é mãe chama-se Maria. Maria do Carmo, Maria Teresa, Maria Beatriz, Maria da Graça, Maria Joana, Maria Eduarda, Maria de Fátima, Maria Celeste, Maria Edite, Maria Augusta, Maria Graciete, Maria Isabel, Maria Odete, Maria Rita, Maria Conceição, Maria Filomena, Maria Luísa, Maria Socorro. Não há como enganar.
  • Mãe que é mãe tem uma colecção de tupperwares. Mais que uma colecção, eu diria que elas têm uma relação com os seus tupperwares. Só elas sabem como é que se devem empilhar os tupperwares, qual é a tampa de qual (mesmo daqueles que são iguais), e qual serve para o quê. Não brinquem com os tupperwares de uma mãe, não se esqueçam deles em mão alheias e o mais importante: nunca percam um tupperware de uma mãe. Nem da vossa nem de outra. Depois não digam que não avisei.
  • Mãe que é mãe acha sempre, repito sempre, que tu não estás bem agasalhada/o. Não importa se é verão e estão quarenta graus à sombra. Elas acham sempre que tu estás a sair à rua de corpinho bem feito e sugerem sempre que leves um casaquinho. À sombra - se de repente está vento - pode fazer fresquinho. Assim, tal e qual, com estas palavras.
  • Mãe que é mãe não te vê terminar uma refeição sem insistir "de certeza que não queres comer mais nada?". É-lhes indiferente que acabes de emborcar uma sopa de feijão, mais um peru (inteiro) com arroz e batatas e ainda um arroz doce. Elas acham sempre que "podias comer mais qualquer coisinha". Dica: se tiverem um cão à mão, chamem-no e durante a refeição, mantenham-no junto a vocês debaixo da mesa. Costuma ajudar.
  • Mãe que é mãe tem a agilidade de te perguntar em menos de quatro segundos, coisas tão variadas como: "já jantaste?", " chegaste?", "onde foste?", "onde vais?", "tens fome?", "lembraste-te de trazer o tupperware?". Já vi metralhadoras mais lentas a disparar.
  • Mãe que é mãe quer estar a par do funcionamento das novas tecnologias. E elas estão meus amigos. Quem é que nunca quase adormeceu a olhar para o whatsapp, com a mãe "a escrever..."? Devagar se vai ao longe, sempre ouvi dizer.

 

Pessoal da minha geração - ou de outras! - digam-me lá se concordam com este retrato. Acrescentariam alguma coisa? Vá lá, não se acanhem que é para a malta se rir um bocadinho. As Mães até nos podem por os nervos em franja, mas no fundo, elas sabem que não podemos viver sem elas.

 

16 comentários

Comentar post

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D