Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MERCEARIA MAGINA

MERCEARIA MAGINA

25
Mai17

"Não gosto de trabalhar com portugueses", disse ela

Na semana passada fui a um jantar onde conheci uma rapariga (espanhola) que, de repente e em modo de desabafo, disse que não gostava de trabalhar com portugueses. Eu que estava indecisa entre sépia e huevos rotos, ouvi aquilo e quase como se de um espasmo se tratasse, reagi! Não sou mãe mas imagino que isto é mais ou menos como com os filhos, ou seja, uma mãe pode falar mal do seu filho mas ai de quem se atreva a fazer o mesmo. "Porquê que não gostas de trabalhar com portugueses?", perguntei-lhe o mais delicadamente possível. A rapariga que não era parva, apercebeu-se que talvez tivesse entrado a pés juntos, então começou por dizer que Portugal era um país incrível, que ela é galega, que somos primos hermanos, enfim, esteve ali a acariciar-me o coração até que me contou as suas razões.

 

Pela experiência dela, os portugueses "chutam para canto" sempre que podem, são preguiçosos, ligam demasiado a hierarquias e são algo arrogantes. Uma vez mais isto irritou-me mas segundo o que ela me contava (e conhecendo apenas a sua versão), ela tinha razão no que dizia e sinceramente, senti uma espécie de vergonha alheia. Claro que também podemos encontrar espanhóis (italianos, franceses, gregos, etc.) assim. Sou consciente que não devemos generalizar e, se não permito que falem mal do meu país "só porque sim", também tenho que ser humilde para reconhecer a veracidade de uma critica. E é aqui que eu me lixo. Durante os últimos quatro anos trabalhei sempre com dois mercados: Portugal e Espanha. Isto significa que por inúmeras vezes coordenei a mesma tarefa para ambos países e, infelizmente pela minha experiência, tenho que concordar com esta rapariga. Enquanto a equipa espanhola despachava o caso, a equipa portuguesa queixava-se, arranjava problemas (lá está, tentando chutar para canto), demorava eternidades. Resumindo, não era uma equipa tão eficiente como a equipa espanhola. Bolas e eu não gosto de assumir isto. Preferia poder dizer o contrário ou, melhor ainda, estar contente com o desempenho de ambas. 

 

Ainda assim, em termos de profissionalismo, eu recuso-me a catalogar os portugueses como arrogantes e preguiçosos. Eu sou portuguesa e não sou assim, tal como a maioria dos portugueses que conheço não o são. Mas é impossível negar que há muitos (mais do que desejável) portugueses que são péssimos profissionais, colegas, chefes. Digo-o por experiência própria e também com base em casos que conheço (onde a mesquinhez e a inveja são palavras de ordem). Tenho curiosidade em saber o que pensam sobre isto. Eu tenho a certeza que somos bons profissionais, somos empreendedores, somos eficazes. Há muito chico esperto por aí mas, mesmo assim, eu acredito que quantitativamente os bons ganham aos maus. E vocês?

 

27 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre a mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D